sexta-feira, 5 de junho de 2009

Boas Novas

Aqui nesse mesmo espaço já comentei 'en passant' que, não sei porque, teimo em nutrir uma certa ingenuidade em relação ao ser humano, quase pueril, quase tola, talvez por influência de Darcy Ribeiro. Eu concordo com o professor quando em sua obra "O povo brasileiro" se refere à confluência racial ocorrida no Brasil como "uma mistura que deu certo", entre índios, negros e europeus: um país sincrético, novo, que embora seja feito de matrizes díspares, se comporta como um só.
Mas depois de tanta água por baixo da ponte e ainda assim vivermos em um cenário atual cada vez mais caótico, agressivo, corrupto, intolerante, alguém eventualmente dirá que a minha crendice na humanidade vai minguar, depois de tomar insistentes "bordoadas" aqui e acolá, para finalmente sucumbir à inclemente realidade dos fatos: as coisas não vão bem.
Há muito o que se melhorar para que enfim façamos jus à alcunha de "espécime fantástica, única dotada de polegar opositor, razão, emoção, de amar, capaz de fazer coisas das mais extraordinárias", de que tanto nos orgulhamos.
Seria utopia, desvarios de alguém que sonha acordado?? Não sei. Mas uma coisa é certa: precisamos é inventar o Brasil e o mundo que queremos viver, cada um de nós, e o mais rápido possível!
Darcy Ribeiro sorriria ao saber de iniciativas como esta que, no mínimo, achei interessante (até onde eu sei também inédita por aqui): um site dedicado às Boas Novas, idealizado por Ruy Drever ("Paulistano" nascido no Uruguai) que reporta apenas o que acontece de construtivo, positivo por aí ( seja nas artes, nas instituições, pelo mundo, enfim).
Evidente que coisas assim não podem nem devem nos anestesiar, nem se prestarem a embriagar... de forma alguma! Pelo contrário: a coisa precisa desesperadamente entrar nos trilhos, mas é imperativo não esquecermos que cada um de nós é parte fundamental nesse processo.
Quando vi o filme Milk, brilhantemente interpretado por Sean Penn, saí revigorado, com a nítida sensação: one can make the differece!! (isso para não citar os heróis históricos conhecidos de todos nós).
É sempre bom lembrarmos que, se há alguma luz no fim do túnel, que a gente faça por trazê-la para mais perto... é possível.

3 comentários:

Juli Mariano disse...

Poxa que bom ler isto aqui e saber que não estou só na minha credulidade de que somos mais do que a própria mídia que geramos em torno de nossas espécie. Tem muita gente boa fazendo coisas boas, para cada pessoa que teima em buscar a escuridão, tem pelo menos cinco pessoas que são elas mesmas o próprio farol. Eu vejo coisas boas acontecendo, eu vejo pessoas boas acontecendo, eu vejo o bom, o belo e o bem. O contrário não preciso me esforçar para ver, pois, nosso próprio lado obscuro teima em expor, pôr em destaque. Mas há mais, há muito mais do que nosso próprio sensacionalismo teima em evidenciar.

Mecka disse...

Chico,

O bem será sempre o bem e retornará bem...
Sempre precisamos acreditar que pode ser melhor...
Assim como quando vi vocês 5 tocando na semana passada, enxerguei pessoas que se sabem e que entendem que este país merece o belo.
Não se trata de otimismo ingênuo e sim de uma consciência maior, que precisa ser trabalhada e dividida.
Temos sim, que colocar a nossa alegria mestiça como diferença no mundo.
Afinal, que mal há em distribuir otimismo e esperança, sonhar com os pés no chão ainda tem a nossa "cara"!

Abs.

Karina disse...

Caro Chico,

Já passei por algumas fases em que quase acreditei que deveria mudar a forma como penso devido as rasteiras e equívocos que tive com certas pessoas e atitudes. Nesses momentos sempre me ocorria que eu deveria acreditar menos nas pessoas. Graças a Deus esse pensamento logo me abandonava e eu voltava a crer que todos nós somos boas pessoas, que independente dos deslizes de cada um, vale a pena acreditar.

A cada dia creio mais nisso e a cada dia conheço mais e mais pessoas que agem dessa forma e assim, tornam essa existência melhor. Você foi um presente e ler este post me inunda de alegria. Obrigada por ser assim, por pensar assim e por ser um amigo, há pouco tempo, mas que estou certa, estará pra sempre em minha vida e sempre construindo um mundo melhor.

Te admiro muito.

Um abraço apertado.